sábado, 20 de agosto de 2011

Desencanto...

 
 
 
 
Senhor! Em certos dias de minha vida encontro muita dificuldade
para suportar meus problemas, sentindo-me cansado,
saturado até, dos percalços e dificuldades diárias.
Mas penso que é impossível deixar de sentir exaustão, algumas vezes,
com o tumulto que é a vida na Terra nos dias atuais!
Nas ruas, meu Pai, pessoas de semblante frio esbarram em mim
ostentando declarado desdém pela sorte alheia; se pedestre,
não encontro espaço certo para uma travessia segura;
se motorista, sempre há alguém para atravessar
a rua impedindo-me de prosseguir.
No trabalho, companheiros, ambicionam-me o cargo;
eu, por minha vez, nunca estou satisfeito com o cargo que tenho.
Se sou correto, meu superior me sufoca;
se sou negligente, ameaça-me com demissão.
No lar, valho minha conta bancária, meu carro; se trabalho muito, sou ausente;
se trabalho pouco, sou relapso e negligente.
Por isso, esse sentimento amargo aqui dentro
e que deixa o mundo menor, deixa as pessoas pequenas
e dá um preço irrisório a tudo o que criastes!
Mas não queria que fosse assim...
Sinto, meu Deus, que posso ser muito mais do que tenho sido ultimamente,
um juiz decadente e cansado de minha própria vida, querendo sim,
ser mais alegre, resignado e bom,
porém com o coração transbordando desencanto e fel.
Por isso estou aqui, em busca de novo estímulo para a minha vida.
Ajuda-me Senhor, a não julgar os outros pelo que fazem,
mas mostra-me como posso transformá-los mostrando-lhes o que eu faço.
Cura-me deste hábito de dar as costas quando sinto
repulsa por aquilo que meu próximo diz ou faz e
mostra-me como devo agir para que ele renove hábitos
e linguagens na minha frente.
Corrige-me o coração enquanto é tempo, meu Pai,
retirando dele a convicção que a vida é irrecuperável, 
e modela-o conforme Tua lei,
para que eu aprenda a viver com menos preconceitos
e julgamentos e com mais misericórdia, alegria e amor!
Assim seja!

Autoria: Chico Xavier

Nenhum comentário:

Postar um comentário