quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Negatividade inata...





Já pensaram o quanto nós, na grande maioria, vibramos de forma extremamente negativa, senão acreditam então vejamos. Quais são as primeiras noticias que procuramos ler nos jornais, logo pela manhã? Qual é nosso maior prazer ao sabermos de um crime ou acidente, a não ser procurar nos inteirar dos detalhes? Qual é o nosso sentimento diante de qualquer calamidade, não é saber como a grande maioria das pessoas perderam as vidas? Então, vibramos ou não de forma negativa? Claro que sim. Infelizmente temos uma NEGATIVIDADE INATA, que faz com que sejamos tão obscuros em nossos pensamentos. Vibramos a negatividade como se fosse um vício que nos domina, além de nossas forças, mas não é verdade, pois temos a força e, principalmente, temos a proteção, para nos livrarmos destas forças negativas, bastando apenas que nós reformulemos nossa forma pensamento, procurando forças mais positivas, as quais, quando o quisermos, estão as nossas inteiras disposições. Assim que abrimos nossos pensamentos frente à negatividade, forças obscuras nos dominam com a maior facilidade e a culpa principal é nossa mesmo, pois somos nós que agimos desta forma, fazendo com que essa negatividade se instale em nossas vidas. De certa forma, nossas costumeiras atitudes obscuras são responsáveis pelos padrões vibratórios que dominam as nossas próprias vidas e das pessoas que nos cercam; nosso padrão vibratório, ou seja, nossos pensamentos dominantes, tenham certeza, influenciam, e muito, o ambiente que nos cerca. Seja qual for a religião, todas, sem exceção, têm a certeza de que as forças do mal, ou forças negativas, como queiram chamar, estão aí a espreita só esperando que esmoreçamos para que dominem nossos pensamentos e nos influenciem a seguir os caminhos da obscuridade e da iniqüidade, satisfazendo, desta forma, seus anseios pelo mal e pela vingança, de toda forma. Para que o amigo leitor não fique achando que estamos falando de esoterismo, ou fantasias, vou propor um pequeno teste que pode levar no mínimo um dia:

Num dia qualquer da semana logo ao se levantar 
tente já ao primeiro minuto iniciar este dia com uma prece, 
ou se preferir um pensamento inteiramente positivo...
• Após esta atitude procure manter seu pensamento sempre elevado,
evitando más notícias, evitando pensar mal de outras pessoas...
• No decorrer deste dia procure apenas coisas boas, tanto para você mesmo 
quanto para as outras pessoas que o cercam...
• Ao final do dia, ao se deitar faça um balanço comparativo 
com os outros dias no mesmo horário e veja 
o quanto sua consciência está um pouco mais leve.

Simples, não é mesmo? Pois somos aquilo que pensamos e, por conseqüência, somos aquilo que fazemos; muito mais do que aparência devemos, antes de tudo, fazer o máximo possível para que nos sintamos bem, evitando a nossa NEGATIVIDADE INATA, que hoje, infelizmente, nos domina, quase que mundialmente. Não digo para que nos tornemos “santos”, mas que procuremos seguir os ensinamentos daqueles que consideramos como “homens santos”, os quais na verdade são pessoas que, simplesmente, seguiram uma conduta de vida dentro da simplicidade e de fazer o bem ao outros, evitando ao máximo, errar e não se desviar dos ensinamentos Daquele que nos ensinou, através de Suas palavras o que é o verdadeiro bem. Não pensem que com isso me declare como se fosse a pessoas mais positiva do mundo, não sou mesmo. Quando me propus a discutir sobre este assunto foi baseado em sentimentos que vem me dominando e me dominaram quase que toda a vida, mas que venho tentando, de todas as formas me livrar deles, principalmente seguindo os ensinamentos contidos no Evangelho. CABE À CADA QUAL A SUA PARTE...

(A.D.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário