segunda-feira, 30 de abril de 2012

A serva escandalizada...


Ante as exclamações de Dalila, a esposa de Azor, o tecelão, quanto às maldades de alguns publicanos de mau nome que a haviam desrespeitado, em praça pública, justamente quando procurava praticar o bem, relatou Jesus, com simplicidade:

- Piedosa mulher, desejando ser mensageira do Reino Divino na Terra, bateu às portas do Paraíso, rogando trabalho.

Foi atendida, cuidadosamente, por um anjo que lhe recomendou visitasse uma taberna para salvar dois homens bons, desprevenidos, que se haviam deixado embriagar, dominados por insinuações insufladas por Espíritos das trevas.

No dia seguinte, porém, a enviada reapareceu, chorosa, explicando ao Ministro do Eterno que lhe não fora possível satisfazer-lhe à determinação, porque o recanto indicado jazia repleto de jogadores a trocarem palavras obscenas e cruéis.

O anjo, então, mandou-a a um esconderijo em floresta próxima, a fim de socorrer uma criança desamparada. No outro dia, porém, a emissária regressou, alegando que não lhe fora exeqüível o trabalho porque a furna ocultava vários homens e mulheres seminua a lhe ferirem o pudor feminino.

O Administrador Celeste, sem desanimar, designou-a para auxiliar uma senhora agonizante, mas, decorridas poucas horas, a colaboradora voltou, ruborizada, ao ponto de origem, informando de que não pudera nem mesmo penetrar o quarto da enferma, porque na antecâmara o esposo da doente, palestrando com certa mulher de baixa procedência, projetava um assassinio para a noite próxima.

O prestimoso Ministro do Alto, embora com algum desapontamento, determinou-lhe o auxílio a dois homens dementes situados em extenso vale de imundos. No dia imediato, a serva escandalizada retornava, célere, esclarecendo que não conseguira alcançar o objetivo, porquanto os loucos viviam impressionados com cenas de vida impura, a lhe causarem extrema repugnância.

O Preposto do Altíssimo, depois de ouvi-la com manifesta estranheza, pediu-lhe amparar uma jovem que se achava em perigo, mas, em breve, regressava a cooperadora sensitiva, exclamando que a criatura mencionada podia ser vista numa festa desregrada, em repulsiva condição moral.

E assim a candidata ao trabalho celeste atravessou a semana, inutilmente, cultivando a Ineficiência, sob variados pretextos. Todavia, procurando de novo o anjo para solicitar-lhe serviço, dele ouviu a exortação de que se fizera merecedora:
- Minha irmã, continue, por enquanto, desenvolvendo o seu esforço nas vulgaridades da Terra.

- Oh! e por quê? — indagou, perplexa. — Não mereço abeirar-me da vida mais alta? — Seus olhos estão cheios de malícia — elucidou o Ministro, tolerante —, e, para servir ao senhor, o servo do bem retifica o escândalo, com amor e silêncio, sem se escandalizar.

Calou-se o Mestre por minutos longos; depois, concluiu sem afetação: - Quem se demora na contemplação do mal, não está em condições de fazer o bem.

Os circunstantes entreolharam-se, espantadiços, e a oração final do culto doméstico foi pronunciada, enquanto, lá fora, a Lua muito alva, desfazendo a treva noturna, simbolizava radioso convite do Céu ao sublime combate pela vitória da luz.

Autoria: Neio Lúcio

Cura real...




Não trate apenas dos sintomas, tentando eliminá-los sem que a causa da enfermidade seja também extinta. 

A cura real somente acontece do interior para o exterior...

Sim, diga a seu médico que você tem dor no peito, mas diga também que sua dor é dor de tristeza, é dor de angústia.

Conte a seu médico que você tem azia, mas descubra o motivo pelo qual você, com seu gênio, aumenta a produção de ácidos no estômago.

Relate que você tem diabetes, no entanto, não se esqueça de dizer também que não está encontrando mais doçura em sua vida e que está muito difícil suportar o peso de suas frustrações.

Mencione que você sofre de enxaqueca, todavia confesse que padece com seu perfeccionismo, com a autocrítica, que é muito sensível à crítica alheia e demasiadamente ansioso.

Muitos querem se curar, mas poucos estão dispostos a neutralizar em sí o ácido da calúnia, o veneno da inveja, o bacilo do pessimismo e o câncer do egoísmo.
Não querem mudar de vida.

Procuram a cura de um câncer, mas se recusam a abrir mão de uma simples mágoa.

Pretendem a desobstrução das artérias coronárias, mas querem continuar com o peito fechado pelo rancor e pela agressividade.

Almejam a cura de problemas oculares, todavia não retiram dos olhos a venda do criticismo e da maledicência.

Pedem a solução para a depressão, entretanto, não abrem mão do orgulho ferido e do forte sentimento de decepção em relação a perdas experimentadas.

Suplicam auxílio para os problemas de tireóide, mas não cuidam de suas frustrações e ressentimentos, não levantam a voz para expressarem suas legítimas necessidades.

Imploram a cura de um nódulo de mama, todavia, insistem em manter bloqueada a ternura e a afetividade por conta das feridas emocionais do passado.

Clamam pela intercessão divina, porém permanecem surdos aos gritos de socorro que partem de pessoas muito próximas de si mesmos.

Deus nos fala através de mil modos; a enfermidade é um deles e por certo, o principal recado que lhe chega da sabedoria divina é que está faltando mais amor e harmonia em sua vida.

Toda cura é sempre uma autocura e o Evangelho de Jesus é a farmácia onde encontraremos os remédios que nos curam por dentro.

Há dois mil anos esses remédios estão à nossa disposição. Quando nos decidiremos?

Autoria: José Carlos De Lucca

A primeira vogal do seu nome...




O significado da primeira Vogal do seu nome, segundo a Numerologia fala muito da sua energia. Confira então:


VOGAL A
A pessoa que tem a primeira vogal “A” tem uma personalidade extrovertida, franca, além de revelar uma ambição e um temperamento muito forte. Muito segura, provavelmente deixa qualquer outro em desvantagem. Adora ser envolvida. É uma pessoa afetuosa e alegre, mas quando provocada, poderá ser áspero ou descortês. Recebe amor e adulação como algo que tem direito; é seu merecimento por transmitir tanta alegria para o mundo.

VOGAL E
A pessoa que tem a primeira vogal “E” é jovial, rápida e esperta, tanto mental como fisicamente. É carismática, emotiva, carinhosa e romântica. Às vezes imatura, acredita em tudo e em todos. Sua maior fraqueza pode ser a precipitação e a indecisão. Criativa e requisitada, é o centro das atenções. Pode seguir qualquer carreira que o coloque diante do público. Expressa-se maravilhosamente bem, seja falando ou escrevendo.

VOGAL I
Esta vogal simboliza a graciosidade, as boas maneiras e a bondade. A pessoa que tem a primeira vogal “I” é uma pessoa que raramente é sovina com sua família. É uma anfitriã maravilhosa, será a melhor das amigas, desde que tenham o cuidado de não exigir muito dela. É uma psicóloga nata. Altamente intuitiva, “sente no ar” algo ruim que esteja para acontecer.

VOGAL O
A pessoa que tem a primeira vogal “O” em seu nome apesar de sua aparência modesta, tem uma mente lógica e resoluta. A dignidade a impedirá de recorrer aos meios desonestos para atingir seus objetivos. Ama de todo o coração. Muito atenciosa, não sabe disfarçar suas emoções. Dotada de incrível paciência, trabalha firmemente em uma coisa de cada vez. Bom gosto é sua palavra-chave.

VOGAL U
A pessoa que tem a primeira vogal “U” é desembaraçada, move-se com graça e elegância. Não gosta do sofrimento humano; a vida é feita para viver as mais belas emoções. Possui vontade firme e autoconfiança quase narcisista. Não escolhe suas amizades, pelo contrário; é sempre assediada por pessoas que gostam de estar com ela. Ser incomodada é algo que a aborrece. Sempre se esforça para ser gentil, mesmo com seu pior inimigo.

(A.D.)

Em busca da iluminação...



Certo dia, um chinês chamado Lailai tomou uma resolução: iria dedicar sua vida à meditação. Decidiu que iria para um mosteiro no alto de uma grande montanha, com objetivo de encontrar a iluminação.

Viajou muitos dias e, ao chegar em frente ao portão principal do mosteiro, encontrou aquele que seria o seu mestre. Lailai foi recebido com muito amor pelos monges que há muitos anos viviam por lá. E dizia a todos:

- Vim para buscar minha iluminação.

Passados alguns anos, o monge Lailai começou a ficar descontente com a sua situação, pois não conseguia encontrar o caminho da luz. Procurou o mestre e disse-lhe:

- Amado mestre, ensinaste muitas coisas belas e importantes nesta minha caminhada, mas ainda não consegui alcançar a iluminação em minha vida. Quero desistir da vida de monge e voltar para a minha aldeia.

E o mestre respondeu:

- Tudo bem, Lailai. Já que você está desistindo desta vida de meditação, quero lhe acompanhar na descida da montanha. Amanhã, às 4 horas da manhã, estarei esperando no portão principal do mosteiro.

No horário marcado, Lailai encontrou o seu mestre. Ao sair do mosteiro, este perguntou a Lailai:

- Querido filho, o que estás vendo neste momento?

Respondeu Lailai.

- Mestre, vejo o orvalho da madrugada, o cheiro da flores, o céu estrelado e uma lua maravilhosa.

Continuaram descendo a montanha. Passada uma hora de caminhada, o mestre pergunta:

- E nesta parte da montanha, o que está vendo?

Respondeu Lailai:

- Vejo os primeiros raios de sol, escuto o canto dos pássaros e sinto a doce brisa da manhã penetrando em todo o meu ser.

E assim continuavam a descer a grande montanha. Passadas algumas horas, o mestre voltou com a mesma pergunta, e Lailai assim respondeu:

- Mestre, neste trecho da montanha sinto o calor do sol, o som do riacho, o orvalho evaporando e os animais silvestres em harmonia com toda a natureza.

Seguiram a caminhada. Chegaram ao pé da montanha ao meio-dia. E mais uma vez, o mestre fez a mesma pergunta, e Lailai respondeu:

- Mestre, vejo como a montanha é bela, as árvores da floresta, o riacho doce que circunda o vale, o camponês cuidando da plantação de arroz. Vejo também uma criança feliz brincando com o seus amigos.

Então o mestre lhe falou:

- Agora você já poderá voltar para o mosteiro.

Espantado, Lailai perguntou qual seria a razão da volta ao mosteiro.

Respondeu o mestre:

- Porque você já encontrou a Iluminação.

- Como assim?

- Muito simples. Em cada etapa da descida da montanha você percebeu a importância de cada detalhe da natureza, compreendendo os seus sons, seus odores, suas imagens, suas cores e sua vida. Assim é que devemos ver e interpretar esta longa caminhada. A isto tudo, nós chamamos de iluminação.

A cada degrau da vida, veja a beleza que ela oferece.

(A.D.)

Desencarnação...



A existência terrena é delimitada por dois extremos: O nascimento e a morte. O primeiro corresponde à chegada do Espírito no plano físico. Os homens preocupam-se muito com esse instante. Enxovais são preparados, quartos são arrumados, as famílias se engalanam para receber seus novos membros.

Isso é bom e correto, pois o ressurgimento na esfera carnal constitui uma bendita oportunidade de trabalho e progresso para aquele que nasce e para a família que o recebe. Em geral, não se trata exatamente de um novo membro, mas de um antigo e querido companheiro de lutas que retorna. Já o que se chama morte é o retorno do Espírito ao seu ambiente de origem. Todo homem é um Espírito que habita temporariamente um corpo. O organismo físico se desgasta, envelhece, adoece e morre. Mas o Espírito vive e evolui para sempre.

A verdadeira pátria corresponde ao plano espiritual. Toda existência terrena é eminentemente transitória. Estranhamente, ao contrário do que se dá com o nascimento, em regra há pouco preparo para o fenômeno da morte, ou desencarnação, como chamamos.

Esse tema é envolto em tabus e fantasias, como se não fosse algo natural. E constitui um fato inexorável. Toda criatura, mais cedo ou mais tarde, verá seu corpo físico perecer. Não há providência possível contra isso. Por ser um fenômeno natural, deve ser tratado com naturalidade e calma.

Como todos morrerão um dia, nenhuma separação é definitiva. O ente querido que morre apenas retorna antes ao verdadeiro lar. Embora se trate de algo natural, isso não implica negar a sua gravidade. Ao nascer, o Espírito traz uma programação de vida, voltada ao seu progresso e burilamento. Ao término da existência, ele faz um balanço de seu comportamento, de suas vitórias e fracassos. O momento do encontro com a própria consciência pode ser terrível ou maravilhoso. Tudo depende do comportamento adotado durante a existência terrena.

O corpo físico amortece enormemente as percepções e os sentimentos do Espírito. Após a desencarnação, tudo se torna muito mais vívido. A alegria de um Espírito pelo dever bem cumprido possui uma intensidade inimaginável para quem permanece vinculado à matéria. Mas também o remorso e a vergonha que experimenta por erros cometidos atingem proporções lancinantes.

A ingenuidade humana muitas vezes afirma que a pessoa descansa ou se liberta ao morrer. Mas é difícil avaliar o que significa esse pretenso descanso para quem se permitiu semear dores e misérias na vida alheia. Do mesmo modo, quem gastou o tempo enredando-se em vícios e maldades não experimenta qualquer libertação ao término da existência.

Quem morre não vai para o céu e nem para o inferno. O céu e o inferno são estados de consciência, que cada qual cria para si com o próprio proceder. A cada um conforme as suas obras, disse o Mestre Divino. A lição é cristalina e não permite enganos. O fenômeno da morte é natural, mas muito grave. Ele constitui um momento de balanço, de aferição de méritos ou deméritos.

Assim, importa tratar do tema com serenidade e maturidade. Não há qualquer milagre ou favor envolvido. Para passar com tranquilidade por esse momento, importa viver reta e dignamente.

Pense nisso!


Autoria: Redação  Momento Espírita

Abrindo portas interiores...



“O Amor é a chave do caminho espiritual e você só poderá trilhá-lo se tiver o coração cheio de amor. O amor aponta o caminho. É perda de tempo falar sobre ele: viva-o e demonstre-o em sua vida. Esqueça o seu ego por completo, derramando seu amor sobre todos os seres humanos. Quanto mais você os amar, mais você Me amará. Tolerância só não é suficiente; necessário é o amor genuíno. O amor nunca é possessivo; ele liberta os seres amados. Você não pode querer ajudar uma alma se você é possessivo, porque todas as almas precisam ser livres para encontrar a si próprias e viver suas vidas, guiadas por Mim. Quando você se torna possessivo em relação a uma alma, você atrasa o progresso espiritual dela e esta é uma responsabilidade grande demais para você assumir. A liberdade do Espírito é essencial para cada pessoal.”

“Se sua atitude é positiva, você consegue enxergar muito além do que na superfície. Perceba suas necessidades claramente, tenha a certeza que elas serão supridas e dê graças por isso. Nunca deixe de agradecer. A lei da gratidão é uma lei espiritual fundamental. Você consegue ser realmente grato por tudo? Você consegue ver o melhor em toda a situação? Eu quero que você ponha esta lei em prática cada vez mais, especialmente quando se deparar com uma situação difícil. Encare-a de frente e honestamente, depois a examine de todos os ângulos possíveis; quando terminar, você vai descobrir que a sua maneira de encará-la mudou totalmente. O que a princípio parecia um desastre, agora é uma oportunidade e basta você decidir extrair o melhor de toda esta situação para que esta oportunidade se transforme num sucesso.”

"Sinta-se em perfeita paz. Não se esforce para entender o que está além da sua compreensão. Quando Eu quiser lhe transmitir algo, Eu o farei sem que você precise se esforçar e lançarei a luz da verdade sobre a mensagem. Ela lhe será revelada e você não terá dúvidas sobre seu significado. Quando Eu digo que a vida é fácil, é exatamente isso que Eu quero dizer. Existe esforço demais na vida; como é que se pode ter paz se é necessário se esforçar o tempo todo? Deixe que a Minha paz, que supera toda compreensão, o preencha e o envolva, pois quando você tem paz interior, você reflete essa paz para o seu exterior e todas as almas que você encontrar se sentirão em paz também. Não permita que nada o perturbe ou entristeça. Saiba simplesmente que tudo está nas Minhas mãos e que tudo vai muito bem. Portanto, eleve seu coração em profundo amor, admiração e gratidão, e viva seu dia em paz."

"Observe a abundância da natureza, da beleza ao seu redor, e reconheça que EU ESTOU em tudo. Quantas vezes durante o dia, andando de lá para cá, você olha as coisas maravilhosas à sua volta e agradece por elas? A maior parte do tempo você está tão ocupado que deixa de absorver grande parte desses prodígios que poderiam elevar e refrescar a sua mente. É uma questão de abrir os olhos e se manter alerta e sensível. Comece agora a se conscientizar mais das coisas que alegram o coração, refrescam o Espírito e elevam a consciência. Quanto mais beleza você absorver, mais beleza você vai refletir. Quanto mais amor você absorver, mais amor você terá para dar. O mundo precisa de cada vez mais amor, beleza, harmonia, compreensão, e você é a pessoa para distribuir tudo isso. Por que não abrir seu coração e começar agora?"

"Se sua vida está atrapalhada, não se acomode, mas procure orientação em seu interior e esteja pronto a aceitar ajuda do exterior. Muitas vezes Eu preciso usar vários canais para lançar luz a uma situação, especialmente quando existem pontos cegos ou quando você está próximo demais de uma situação para conseguir focalizá-la. Nesses momentos, esteja disposto a aceitar ajuda externa, apesar de que isso não quer dizer que você deva correr para pedir ajuda a alguém toda vez que tiver um problema para resolver. É importante que você aprenda a se equilibrar sobre suas próprias pernas e seja capaz de pensar sozinho, procurando ajuda interior sempre que possível. Você não deve ser preguiçoso espiritualmente, dependendo de outra pessoa para fazer o seu trabalho. É preciso tempo e paciência para se aquietar e se recolher para procurar as respostas, mas você só vai crescer espiritualmente se colocar estas lições em prática."

"Mantenha seu centro interior imóvel como um espelho d'água, para que você possa refletir tudo que há de melhor sem distorções e, então, possa irradiar o melhor para fora de você. Não permita que nada o perturbe ou desanime; saiba que tudo vai indo bem e assuma seus passos sem preocupações. Aprenda a rir de si mesmo, especialmente quando perceber que está levando tudo muito a sério e está começando a se curvar sob o peso do mundo. Quando você se surpreender muito a sério, solte-se, relaxe e comece a desfrutar a vida e a tensão desaparecerá. Se você estiver carregando um fardo pesado demais para seus ombros, solte-o, descanse e relaxe. Descansado e relaxado você será capaz de render muito mais do que quando você está tenso como um elástico a ponto de arrebentar a qualquer momento."


Autoria: Eileen Caddy

Escolhas...



E o que é que ela vê nele? Nossos amigos se interrogam sobre nossas escolhas, e nós fazemos o mesmo em relação às escolhas deles. O que é, caramba, que aquele Fulano tem de especial? E qual será o encanto secreto da Beltrana?

Vou contar o que ela vê nele: ela vê tudo o que não conseguiu ver no próprio pai, ela vê uma serenidade rara e isso é mais importante do que o Porsche que ele não tem, ela vê que ele se emociona com pequenos gestos e se revolta com injustiças, ela vê uma pinta no ombro esquerdo que estranhamente ninguém repara, ela vê que ele faz tudo para que ela fique contente, ela vê que os olhos dele franzem na hora de ler um livro e mesmo assim o teimoso não procura um oftalmologista, ela vê que ele erra, mas quando acerta, acerta em cheio, que ele parece um lorde numa mesa de restaurante mas é desajeitado pra se vestir, ela vê que ele não dá a mínima para comportamentos padrões, ela vê que ele é um sonhador incorrigível, ela o vê chorando, ela o vê nu, ela o vê no que ele tem de invisível para todos os outros.

Agora vou contar o que ele vê nela: ele vê, sim, que o corpo dela não é nem de longe parecido com o da Daniella Cicarelli, mas vê que ela tem uma coxa roliça e uma boca que sorri mais para um lado do que para o outro, e vê que ela, do jeito que é, preenche todas as suas carências do passado, e vê que ela precisa dele e isso o faz sentir importante, e vê que ela até hoje não aprendeu a fazer um rabo-de-cavalo decente, mas faz um cafuné que deveria ser patenteado, e vê que ela boceja só de pensar na palavra bocejo e que faz parecer que é sempre primavera, de tanto que gosta de flores em casa, e ele vê que ela é tão insegura quanto ele e é humana como todos, vê que ela é livre e poderia estar com qualquer outra pessoa, mas é ao seu lado que está, e vê que ela se preocupa quando ele chega tarde e não se preocupa se ele não diz que a ama de 10 em 10 minutos, e por isso ele a ama mesmo que ninguém entenda.

Autoria: Martha Medeiros

O amor em estado bruto...



Tempo, pensamento, libido e energia são solteiros e morrerão assim, mesmo contra nossa vontade. O que é, o que é? Faz você ter olhos para uma única pessoa, faz você não precisar mais ficar sozinho, faz você querer trocar de sobrenome, faz você querer morar sob o mesmo teto. Errou. Não é amor.

Todo mundo se pergunta o que é o amor. Há quem diga que ele nem existe, que é na verdade uma necessidade supérflua criada por um estupendo planejamento de marketing: desde criança somos condicionados a eleger um príncipe ou uma princesa e com eles viver até que a morte nos separe. Assim, a sociedade se organiza, a economia prospera e o mundo não foge do controle.

O parágrafo anterior responde o primeiro. Não é amor querer fundir uma vida com outra. Isso se chama associação: duas pessoas com metas comuns escolhem viver juntas para executar um projeto único, que quase sempre é o de construir família. Absolutamente legítimo, e o amor pode estar incluído no pacote. Mas não é isso que define o amor.

Seguramente, o amor existe. Mas, por não termos vontade ou capacidade para questionar certas convenções estabelecidas, acreditamos que dar amor a alguém é entregar a essa pessoa nossa vida. Não só nosso eu tangível, mas entregar também nosso tempo, nosso pensamento, nossas fantasias, nossa libido, nossa energia: tudo aquilo que não se pode pegar com as mãos, mas se pode tentar capturar através da possessão.

O amor em estado bruto, o amor 100% puro, o amor desvinculado das regras sociais é o amor mais absoluto e o que maior felicidade deveria proporcionar. Não proporciona porque exigimos que ele venha com certificado de garantia, atestado de bons antecedentes e comprovante de renda e de residência. Queremos um amor ficha-limpa para que possamos contratá-lo para um cargo vitalício. Não nos agrada a idéia de um amor solteiro. Tratamos rapidamente de comprometê-lo, não com o nosso amor, mas com nossas projeções.

O amor, na essência, necessita de apenas três aditivos: correspondência, desejo físico e felicidade. Se alguém retribui seu sentimento, se o sexo é vigoroso e se ambos se sentem felizes na companhia um do outro, nada mais deveria importar. Por nada, entenda-se: não deveria importar se outro sente atração por outras pessoas, se outro gosta de fazer algumas coisas sozinho, se o outro tem preferências diferentes das suas, se o outro é mais moço ou mais velho, bonito ou feio, se vive em outro país ou no mesmo apartamento e quantas vezes telefona por dia. Tempo, pensamento, fantasia, libido e energia são solteiros e morrerão solteiros, mesmo contra nossa vontade. Não podemos lutar contra a independência das coisas. Aliança de ouro e demais rituais de matrimônio não nos casam. O amor é e sempre será autônomo.

Fácil de escrever, bonito de imaginar, porém dificilmente realizável. Não é assim que estruturamos a sociedade. Amor se captura, se domestica e se guarda em casa. Às vezes forçamos sua estada e quase sempre entregamos a ele os direitos autorais de nossa existência. Quando o perdemos, sofremos. Melhor nem pensar na possibilidade de que poderíamos sofrer menos.

Autoria: Marta Medeiros

Quando falar...




Quando falar sobre a dor, deixe abertas as janelas da alma para compreender que o amor e a dor são tão parecidos que até os confundimos ao vê-los bem de pertinho.

Quando falar sobre a paz, faça-o no rumor da guerra, e para ser ouvido na mais alta voz.

Quando falar sobre sonhos, acorde para vivê-los na melhor lucidez do seu dia.

Quando falar de amizade, estenda a mão aos seus inimigos para que possa provar a si mesmo aquilo que gosta de dizer aos outros.

Quando falar de fome, faça um minuto de jejum para lembrar daqueles que jejuam todos os dias, mesmo sem querer.

Quando falar de frio, abrace alguém.

Quando falar de calor, estenda a mão.

Quando estender a mão, mantenha o braço erguido para que perdure.

Quando falar de felicidade, acredite nela.

Quando falar de fé, cerre os olhos para encontrar a razão daquilo em que crê.

Quando falar de Deus, faça-o pelo silêncio do seu testemunho.

Quando falar de si mesmo, aprenda a calar, para entender o amor, a dor, a paz, os sonhos...

(A.D.)

Hoje...



Se chover, seja feliz com a chuva que molha os campos, varre as ruas e limpa o ar. Se fizer sol, aproveite o calor. Se houver flores em seu jardim, aproveite o perfume. Se tudo estiver seco, aproveite para colocar as mãos na terra, plantar sementes, regá-las e aguardar a floração. Mas, verdadeiramente, a única fonte de felicidade está dentro de nós mesmos e deve ser repartida. Repartir as alegrias é como espalhar perfume sobre os outros. Sempre algumas gotas caem sobre nós. Quando partilhada, a alegria aumenta...

Hoje não arrume desculpas.
SEJA FELIZ!

Autoria: Minutos de Sabedoria

Não desista...




"Foi péssimo o gosto do remédio, mas o paciente precisava disso. Algumas vezes a vida pode te atingir na cabeça com um tijolo. Não perca a fé. Me convenci que a única coisa que me fez seguir em frente é que eu amava o que fazia. Você tem que achar o que ama. E isso é tão verdade para o trabalho, quanto é para as pessoas que ama. Seu trabalho vai preencher boa parte da sua vida. E é a única maneira de ser verdadeiramente satisfeito. É fazer o que acredita ser um ótimo trabalho, e a única maneira de fazer um ótimo trabalho, é amar o que você faz. Se você não achou isso ainda, continue procurando, e não desista. Como todos os assuntos do coração, você saberá quando encontrar. (...) Não desista."

Autoria: Steve Jobs

O instante mágico...




É preciso correr riscos. Só entendemos direito o milagre da vida quando deixamos que o inesperado aconteça. Todos os dias Deus nos dá – junto com o sol – um momento em que é possível mudar tudo que nos deixa infelizes.

Todos os dias procuramos fingir que não percebemos este momento, que ele não existe, que hoje é igual à ontem – e será igual à amanhã. Mas, quem presta atenção ao seu dia, descobre o instante mágico. Ele pode estar escondido na hora em que enfiamos a chave na porta pela manhã, no instante de silêncio logo após o jantar, nas mil e uma coisas que nos parecem iguais.

Este momento existe – um momento em que toda a força das estrelas passa por nós, e nos permite fazer milagres. A felicidade às vezes é uma bênção – mas geralmente é uma conquista.

O instante mágico do dia nos ajuda a mudar, nos faz ir em busca de nossos sonhos. Vamos sofrer, vamos ter momentos difíceis, vamos enfrentar muitas desilusões – mas tudo é passageiro, e não deixa marcas. E, no futuro, podemos olhar para trás com orgulho e fé. Pobre de quem teve medo de correr os riscos. Porque este talvez não se decepcione nunca, nem tenha desilusões, nem sofra como aqueles que têm um sonho a seguir.

Mas quando olhar para trás – porque sempre olhamos para trás – vai escutar seu coração dizendo: “o que fizeste com os milagres que Deus semeou por teus dias?
O que fizeste com os talentos que teu Mestre te confiou? Enterraste fundo em uma cova, porque tinhas medo de perdê-los. Então, esta é a tua herança: a certeza de que desperdiçaste tua vida”.

Pobre de quem escuta estas palavras. Porque então acreditará em milagres, mas os instantes mágicos da vida já terão passado.

Autoria: Paulo Coelho

Deixe a vida fluir...




Quando sorrimos, levamos a alguém bem próximo, ou até distante, a certeza de que, por pior que seja o momento, o futuro nos espera.

Quando choramos, mostramos que somos frágeis e sensíveis e que precisamos, mais do que nunca, de consolo e palavras de carinho.

Quando amamos, nos sentimos felizes por ter encontrado a pessoa que julgamos ser a nossa metade, onde sentimentos e desejos se completam de tal forma que nos transformamos numa só pessoa.

Por isso, deixe a vida fluir normalmente. Sorria, chore, ame, sofra e lembre-se, sempre, que a cada amanhecer renascemos.

(A.D.)

Conhecimento e sabedoria...





Dois jovens monges se aproximaram do mestre que em silêncio apreciava o sol que se espreguiçava no vale se preparando para mais um dia.
O mestre ao vê-los apenas sorriu sem alterar sua posição.


O mais velho dos monges cumprimentou-o com gentileza e indagou:


- Mestre, estamos discutindo e não chegamos a nenhuma conclusão sobre a diferença entre conhecimento e sabedoria. Para ele não existe diferença, para mim sim, porém, não consigo expressar em palavras o que sinto e assim convencê-lo destas diferenças.


O mestre sorriu mais uma vez e olhando para o horizonte apontou para a montanha mais alta e disse:


- Para saber a diferença, coloquem um punhado de grãos de feijão em seus sapatos e subam até o alto daquela montanha, depois conversaremos.


Ambos saíram e seguiram as orientações do mestre, não sem antes passar em seus aposentos e se preparar para a subida.


No final da tarde retornaram e encontraram o mestre esperando-os pacientemente.


O mais jovem reclamando das dores que sentia uma vez que os grãos criaram bolhas deixando inchados seus pés.


O outro monge parecia nada sentir e seus pés estavam perfeitos sem nenhum problema.


E o mestre olhando para o mais jovem dos monges que havia se sentado para aliviar a dor disse:


- Percebeu a diferença entre conhecimento e sabedoria? Seu amigo colocou os mesmos grãos de feijão em seus sapatos, porém, tomou o cuidado de cozinhá-los antes.


Aprendi que conhecimento é tudo e muitos dizem que no mundo de hoje o conhecimento é imprescindível, já que vivemos na Era do Conhecimento.


Concordo plenamente, uma vez que o conhecimento é a base daquilo que chamamos cultura.


Se nos enclausuráramos em uma biblioteca por alguns meses e nos concentrar na leitura das melhores obras literárias com certeza aumentaremos em muito nosso rol de conhecimento.


Em resumo podemos concluir que conhecimento é poder.


Discordo!


Conhecimento é poder, porém...

Atitude é poder.

Postura é poder.

Valores éticos e morais são poderes.

Respeito é poder.


Tudo isso somado é o que chamamos de sabedoria e o que conta hoje não é o saber, mas, a sabedoria.


Podemos deter muito conhecimento, porém, se o conhecimento não vir acompanhado de tudo isso acima ele não tem valor algum.


Neste sentido, sabedoria é o reflexo da utilização do conhecimento, assim, uma pessoa culta não é necessariamente sábia, e uma pessoa sábia é, sem dúvida, relativamente culta.


Por outro lado o conhecimento por si só não tem valor, a não ser que seja colocado em prática.


Que o diga o jovem monge que tinha conhecimento das conseqüências de caminhar com grãos de feijão nos sapatos, mas não tomou nenhuma atitude para se proteger.


Aceite esta verdade, o que vale no mundo de hoje é a sabedoria não o conhecimento.

(A.D.)

Pequeno detalhe...


Normalmente, os pequenos detalhes fazem uma enorme diferença em nossas vidas. Conheço pessoas que lêem muito e pouco ou nada aplicam em suas vidas do que efetivamente sabem. O Universo não cobra a nossa ignorância. Somos verdadeiramente responsáveis pelo destino que damos ao conteúdo que existe dentro de nosso cérebro.
 
Conheço pessoas que pregam a igualdade entre os seres humanos, mas são efetivamente os que criam, em suas relações, as maiores desigualdades. Seu corpo físico atual é apenas reflexo de suas emoções, mente e alma. Uma vida feliz e regrada precisa obedecer, necessariamente, aos seguintes princípios e relativas condutas: Espírito, Amor e Matéria.

Muitas pessoas são amigas de nossa facilidade e do eventual poder material que temos. Só descobrimos isso quando ambos vão embora. Quando as facilidades deixam de existir é quando o poder passa a ser efêmero.

A doença no corpo físico sempre é conseqüência de dissabores emocionais. Saber controlar nossos sentimentos é o principal segredo de uma vida consciente e regrada. O verdadeiro amigo é aquele que nos diz o que não gostamos de ouvir. Aquele que está próximo quando todos se vão.

Quando o amor é real, nós não ficamos felizes com o que a pessoa nos dá, mas, efetivamente, pelo que nos tornamos quando estamos juntos e dividindo a mesma energia. Se você trabalha para ganhar dinheiro jamais irá acumular fortuna. O dinheiro é sempre conseqüência de COMO o conseguimos. Ele é sempre acessório e nunca principal. Somos hoje a conseqüência de todas as decisões que tomamos em nossa vida.

Autoria: Saul Brandalise

A missão de dar frutos de qualidade...






"Porque, assim como a chuva e a neve descem dos céus e para lá não tornam, mas regam a terra, e a fazem produzir e brotar, para que dê semente ao semeador, e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca: ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei."

((Isaías 55.10,11))

ANALISANDO OS RECURSOS...

Tudo que Deus faz, tem sempre uma finalidade ou um propósito. Neste texto de Isaías, nós vemos sua providência, finalidade (propósito) e resultados muito bem definidos, ou seja: inicio, meio e fim.

PROVIDÊNCIA: é a chuva e a neve, ou seja: é aquilo que somente Deus pode fazer, é a provisão ou os recursos por ele utilizado para um determinado fim. Ora, quando a chuva e a neve descem à terra, elas regam a terra de tal forma que libera da terra seus agentes nutritivos, que por sua vez nutrirão a semente sobre ela lançada. A providência de Deus também pode ser vista no âmbito de nossas vidas, tanto secular quanto espiritual. A chuva e a neve aqui representam os dons que Deus concedeu aos homens, (Sl..68:18) seus talentos, habilidades, capacidade, intelecto, sanidade mental, inteligência e todos os recursos utilizados pelo homem para desenvolver seu trabalho e sua vida espiritual, afim de que ambas sejam frutíferas.

FINALIDADE: é regar a terra e a fazer produzir e brotar, ou seja, é dar à terra condições para que a semente que foi lançada sobre ela se desenvolva e venha a brotar e conseqüentemente produzir. Conosco não é diferente, todos os recursos enviados por Deus para nós, também tem esta finalidade. É completamente impossível que recebamos de Deus todas essas diversidades de talentos, dons e habilidades, sem produzir absolutamente nada e nos acomodarmos a uma vida completamente estéril.

RESULTADO: é dar semente ao semeador e pão ao que come. Só poderemos dar semente ao semeador, se produzirmos frutos e só poderemos dar pão ao que come; se produzirmos frutos; de outra forma, isso seria impossível, pois o semeador é o Espírito Santo de Deus que se utiliza das semente dos fruto que produzimos para semear em outros terrenos, ou seja: os frutos de um coração transformado que são nossas ações, nossas obras de perseverança, integridade, caráter, amor, prudência, bons exemplos, humildade, amor ao próximo e etc. que serão plantados em outros corações, frutos como os produzidos por José, Abraão, Isaque, Jacó, Davi, Salomão, Paulo e outros, principalmente Jesus Cristo, que, até hoje são semeados e transformam vidas aos milhares.

RESUMINDO: A Palavra de Deus contém todos os nutrientes espirituais e muito mais para nos assegurar uma vida espiritual perfeitamente produtiva e frutífera, portanto jamais seremos justificados diante de Deus se nos apresentarmos de mãos vazias (Dt. 16:16, Ex.23:15). Não teremos desculpas, pois recebemos de Deus "TUDO" que diz respeito à vida (II Pe.1:3) e o processo é simples: recebemos os recursos, desenvolvemos o potencial e produzimos os resultados, isso é: frutos

ANALISANDO O TERRENO...

Ninguém seria capaz de iniciar uma semeadura, sem antes fazer uma rigorosa análise da semente, do terreno e do semeador, para que todo seu trabalho não seja vão e cheio de prejuízos. Um agricultor, por exemplo, escolhe uma semente hibrida de boa qualidade, em seguida prepara bem a terra e somente depois ele lança sua semente se cercando de garantias de que terá uma boa e abundante colheita. O processo, no entanto, não para por aí, é necessário também um cuidado diário, tirando pragas, pedras e todo tipo de impurezas e ervas daninhas que se vão acumulando durante o processo. A semente que se vê, não é a mesma que vai nascer. O que nasce, está dentro da semente, se o grão ficar sozinho, nada acontece, o processo maravilhoso somente acontece quando a semente é sepultada na terra, pois a mesma rompe sua casca, nutre sua essência e essa começa a brotar, (João 12:24)

A semente não é vivificada, se primeiro não morrer (I Cor.15:36,37). Espiritualmente analisando o terreno, a semente é a Palavra de Deus, essa é perfeita( Sl 19:7), viva e eficaz (Hb.4:12), o semeador é o Espírito Santo, Ele também é perfeito e é Ele quem semeia em nossos corações a semente da Palavra de Deus, então podemos concluir sem margem de erros que, até aqui, é impossível que não venhamos produzir frutos, a menos é claro que o problema esteja no terreno.

Semeamos um corpo de semente, nasce um corpo de vida, assim como nossa vida, só poderemos produzir uma vida para Deus, se sepultarmos a semente do nosso "EU", Se sepultarmos o nosso corpo de corrupção, nascerá um corpo de incorrupção, um corpo mortal, nasce um corpo de imortalidade; um corpo de ignomínia; nasce um corpo de glória; sepultamos nosso corpo animal, nasce um corpo espiritual, um corpo de fraqueza, nasce um corpo de poder, um corpo de ódio, nasce um corpo de amor, sepultamos uma vida para o mundo, com certeza nascerá uma vida para Deus.

Quando atingimos o resultado esperado por Deus, também estaremos dando pão ao que come, ou seja, estaremos em Deus, suprindo as necessidades daqueles que tem fome espiritual, dos milhões e milhares de almas que todos os dias atravessam as fronteiras da eternidade sem Deus, que se perdem porque não foram nutridas espiritualmente.

COMO PRODUZIR UMA VIDA FRUTÍFERA...

    Quando o Senhor Jesus Cristo relatou-nos a parábola do semeador, Ele estava nos mostrando os obstáculos e empecilhos de produzirmos uma vida frutífera. Os terrenos por ele mencionados, montra-nos a realidade de como está a nossa vida nesta questão, e para que não nos conformemos a uma vida infrutífera e estéril, devemos analisá-la de forma coerente e sincera para que Deus possa fazer em nós, sua maravilhosa obra de ganhar almas.

Terreno duro: É geralmente um tipo de solo que encontramos nos trieiros, que são aqueles caminhos por onde passa um fluxo grande de pessoas. É um solo duro, pisado, socado e impossível que alguma semente nele lançada possa brotar, pois, devido a sua dureza, a semente não penetra e é muito fácil ver as aves se alimentando das sementes que foram lançadas sobre ele.

    Este terreno representa aquelas pessoas que tem um coração endurecido, pisado pelo mundo, pelas pessoas, socado, compactado, maltratado, judiado e sem cuidados devidos, onde a semente da palavra de Deus nele lançado, não pode penetrar devida sua dureza, são pessoas que ouvem a Palavra, mas não dão crédito porque estão sendo massacradas e moldadas pelo mundo sem Deus.

    Talvez esse seja seu caso, caro leitor, talvez você não tenha mais alegria na vida, não vê prazer na família, na igreja, nos cristãos ou mesmo em Deus e por isso sua vida está vazia, estéril e infrutífera; talvez você se vê no fundo do poço, derrotado, amargurado e sem esperanças. As pessoas que você mais ama e admira, são as que mais te decepciona.

    Deixe-me te dizer algo em nome de Jesus Cristo. Um dia, mais cedo ou mais tarde, você comparecerá diante de Deus para dar conta de sua vida, e, nesse dia ele não vai te perguntar o que você fez com os ensinamentos que recebeu de pastores, de igrejas ou de algum irmão, se assim fosse talvez você tivesses desculpas, pois todos erram e nos decepcionam, mas certamente te perguntará o que você fez com a vida do seu Filho que foi enviado para morrer no seu lugar e pagar o preço dos pecados que você cometeu, afim de te dar uma vida nova e um novo começo. O Filho de Deus foi e é perfeito, e com relação a isso não haverá justificativas e nem desculpas, pois ele e somente ele pode te dar uma vida inteiramente nova e repleta de alegria e felicidade. Tome essa decisão agora e ele te dará um coração inteiramente novo. (Isa.41:9-13)

Terreno pedregoso: É aquele terreno cheio de pedras onde a semente nele lançada até chega a nascer, mas não tem profundidade e quando chega o sol, mata o broto porque sua raiz não encontra terra fértil e não consegue penetrar na terra. A pedra aqui é representada pela dúvida e falta de fé. As pessoas aqui vão à igreja, se emocionam, choram com a presença de Deus e a sentem, mas a dúvida impede que elas vejam a operação regeneradora do Espírito Santo, quase nunca vêem as respostas de Deus às suas orações e não levam uma vida íntegra nem recebem os milagres de Deus porque não acredita, seu coração é uma pedra, não possuem firmeza e quando vem a provação, elas morrem espiritualmente, porque não tem forças suficiente. Quem sabe amigo, se esse não é o seu estado, só você poderá analisar e, se for, saiba que Deus não te abandonou as promessas de Deus para sua vida é que Ele promete arrancar seu coração de pedra e te dar um coração de carne inteiramente novo. Ele e somente ele pode realizar nesse momento, uma cirurgia espiritual e te dar uma vida inteiramente nova (Ez.11:19,20).

Quem sabe se há muito você não está a espera de um milagre, e essa pedra te impede de ver o trabalhar de Deus. Quando a Bíblia relata o episódio da ressurreição de Lázaro, as pessoas estavam ali, muitas também queria ver um milagre, pois Jesus já havia dito que ele era a ressurreição e a vida, estava ali para provar o que havia dito, mas as pessoas não podiam ver, havia uma pedra que as impedia de ver o milagre. Todas as evidências apontavam para o fato de que já era tarde demais, o mau cheiro, o tempo de sepultamento, a doença e outros fatores, mas a pedra fazia com que eles conjecturassem, pois não podiam ver, apenas deduziam pelas evidências, mas Jesus Cristo estava ali e essa presença fazia toda diferença, ele via além, muito além da pedra. As pessoas olhavam para a pedra e via a morte, a decomposição, o mau cheiro, o impossível, a derrota, o fracasso, mas Cristo não via a pedra, mesmo olhando para ela, Ele via além, Ele via a glória, o poder e a unção de Deus, Ele via seu amor infinito e misericórdia e para que as pessoas também pudessem ver, Ele teve que antes ordenar:

“Tirai a pedra” e quando a pedra foi removida, somente aí, foi que todos puderam ver um autêntico e poderoso milagre, eles viram a vida surgir da morte e puderam glorificar a Deus. Deixe Deus agir em sua vida, tire a pedra do teu coração e creia em sua palavra e o milagre que espera poderá acontecer em sua vida, neste exato momento, aqui e agora.

Terreno cheio de espinhos: É aquele terreno mal cuidado, onde a terra está preparada, mas não pode germinar a Palavra de Deus porque os espinhos nele contido a sufocam impedindo que ela se desenvolva e conseqüentemente se torne também infrutífera.

    Este terreno é representado por aquelas pessoas que receberam a Cristo como seu Salvador e começam bem sua vida espiritual, mas não tem firmeza porque os cuidados excessivos com as coisas do mundo e a vida secular sufocam a Palavra de Deus. Este terreno é evidenciado também pela agitação da vida moderna, as preocupações como trabalho, estudo, posição social, correria, estatus, conforto, bem-estar, excesso de informações etc. Coisas necessárias, mas que em demasia, sufocam a própria vida nos levando a um lamentável processo vicioso, deprimente e degenerativo.

A vida torna-se tão corrida que há tempo para coisas tão importantes como família, esposo (a) filhos e laser, imagine o espírito, que, nestas condições, fica atrofiado. As pessoas deste quadro não têm nem tempo para si mesmas, quanto mais para Deus, pois elas não podem perder a sua provisão e previsão de conforto e bens materiais como carros, casas, empresas, conta bancária e o desejo de ser ricas e portentosas e terem uma boa visão do futuro além da preocupação de estarem sempre na moda. Resultado: geralmente são pessoas que se encontram em desespero pelo acúmulo de dividas às vezes gigantesco.

    A advertência da Palavra de Deus neste caso é triste e dura, pois a vontade de ser rico, de não passar por escassez e achar que esta é a visão do futuro e que é preciso vestir-se de acordo com as tendências da moda, tem levado a pessoa para um abismo profundo em vida. (AP.3:17,18,19). Dizes rico sou, e estou enriquecido e de nada mais tenho falta, mas a Bíblia diz que a pessoa que pensa assim, não sabe que é um coitado, e miserável, e pobre e cego e nu.

Amigo! Se este é o seu estado, Deus não quer que você permaneça assim, não é errado você ter posses, querer se vestir bem, fazer suas provisões e viver a vida secular, o errado é se deixar sufocar pelos excessos e fazer tudo isso sem Deus, Ele quer que você seja próspero e viva bem, que viva como um filho e Ele diz para você neste momento: “Aconselho-te que de mim compre o ouro refinado no fogo para que te enriqueças, este é ouro de um caráter reto, íntegro, provado e aprovado por Deus e refinado no fogo do seu Espírito Santo; e vestes brancas para que te vistas, esta é a roupa de cristão que anda de acordo com a moda, “vestes branca” representando uma consciência limpa, uma vida transparente, sem mancha, uma vida de santidade, separada e não contaminada pela sujeira do mundo, para que não apareça as vergonhas da sua nudez; e colírio para ungires os teus olhos, afim de que vejas; essa é a visão de um cristão: a certeza de sua salvação, não existe visão melhor para o futuro do que a certeza e segurança da sua salvação. “Eu repreendo e castigo a todos quantos amo. “Portanto, sê zeloso e arrepende-te”. Eis que estou à porta e bato...

Boa terra: Finalmente a “boa terra”, a terra que produz; terra onde a Palavra de Deus encontra seu devido aconchego, um coração receptivo que produziu abundantemente, um coração voltado para Deus, uma árvore plantada junto aos ribeiros de águas que produz seus frutos na estação própria e suas folhas estão sempre verdes.

    Não podemos deixar de produzir frutos, quantas pessoas estão vivendo com uma bela folhagem, mas estão estéreis de frutos? Falam bonito, pregam maravilhosamente bem, mas seus atos não condizem com suas palavras, falam uma coisa e vive outra, não podem dar pão ao que come porque não tem fruto, são figueiras estéreis, está mais ligado a metodologias, a cultura secular, a uma boa retórica, um infalível domínio da oratória e persuasão, mas estão vazias por dentro. Isso é muito perigoso. Não fomos nós que escolhemos a Cristo, Ele nos escolheu e nos designou para que demos frutos e o nosso fruto permaneça, e assim Deus é glorificado, em que demos frutos e o nosso fruto permaneça e nos tornemos seus discípulos. ( João 15:8,16)

    Somente poderemos produzir frutos, quando permanecemos ligados nele, nós somos os ramos e os ramos somente produzem se estiver ligado a árvore que é Cristo, pois sem Ele, nada, absolutamente nada podemos fazer.

    O machado está colocado na raiz de toda árvore, e toda árvore que não produz bons frutos, será cortada e lançada ao fogo. ( MT 3:10 )

Que Deus o abençoe rica e poderosamente e que essa palavra encontre o lugar que merece em sua mente, alma e coração.

(A.D.)

A afetividade torta...



Acho que o maior problema dos relacionamentos contemporâneos é da ordem gastronômica. Da forma como eu vejo - e talvez esteja influenciada pela fome da madrugada - as pessoas são como grandes tortas de sabores variados. Algumas a gente bate o olho e já sabe que vai gostar, às vezes só pelo cheiro. Outras vezes, a gente segue a intuição e só depois descobre que é alérgico a nozes, ou pior, que a torta em questão curte sertanejo universitário.

Mas, ao contrário do que você possa estar pensando, o problema dos relacionamentos contemporâneos não reside no fato de que somos tortas gigantes. Tortas são bonitas e gostosas, na grande maioria das vezes - exceto nas festas de aniversário em escritórios no centro da cidade. A tristeza da coisa está na constatação de que estamos vivendo uma espécie de comidaaquilorização da afetividade. Isso significa que, devido a alta oferta de tortas no mercado, ninguém consegue se focar em apenas um sabor.

O que temos hoje é uma porção de tortas sendo vorazmente garfadas e deixadas de lado, aos pedaços, disformes, tristes. Todo mundo quer um pedacinho de torta, uma fatiazinha fina do tipo "estou-de-dieta-não-quero-muito". Tem sempre alguém querendo dar uma mordiscada, uma lambidinha, uma passadinha de dedo marota. O que ninguém quer - ou tem coragem de fazer - é arriscar e levar a torta inteira para casa.

E essa é a grande lástima da nossa geração. Estamos acostumados a tirar lasquinhas de várias sobremesas e levar à balança do restaurante para pesar. É a insustentável leveza da torta mousse de chocolate e do cheesecake de framboesa. Estamos acostumados a ter muitas, muitas opções de comida. E de pessoas. Conheço gente que tem mais de 1.000 amigos no Facebook. Como se alguém fosse fisicamente capaz de ter mil amigos.

E qual é o resultado disso? Tortas garfadas e destroçadas, sem lugar cativo na geladeira de ninguém, vagando por aí, pelas noitadas, pelas festas, tristes, tortas. E, pouco a pouco, elas vão perdendo a doçura. Vão se tornando descrentes, azedas, estragadas pelo ataque dos garfos despretensiosos.

Somos tortas. Claro que somos comidas. Mas o que eu queria mesmo era experimentar a sensação de ser a preferida de alguém. Aquela que é levada dentro do pacote - o pacote completo, com todos os defeitos e qualidades, com todas as garfadas sofridas, com tudo aquilo que faz de mim a torta gigante que eu sou. Estou farta de me pedirem pedacinhos. Quero ser levada por inteiro.
   
Autoria: Natalia Klein

sábado, 28 de abril de 2012

Ser livre...




"Ser livre é não ser escravo das culpas do passado nem das preocupações do amanhã. Ser livre é ter tempo para as coisas que se ama. É abraçar, se entregar, sonhar, recomeçar tudo de novo. É desenvolver a arte de pensar e proteger a emoção. Mas, acima de tudo, ser livre é ter um caso de amor com a própria existencia e desvendar seus mistérios."

                                                               Autoria: Augusto Cury