quarta-feira, 9 de maio de 2012

Simplicidade é a linguagem do coração...



 
A simplicidade é fácil demais para a mente compreender. A mente fará um tremendo esforço para ser simples e este esforço de modo algum será espontâneo. Simplicidade é a linguagem que o coração conhece. Um padre, um sacerdote ou um mulçumano não conhece a espontaneidade. Eles rezam com hora marcada. Estão presos aos seus pequenos esquemas litúrgicos.

O Tantra é espontâneo e simples.
Para compreendê-lo você precisará experimentá-lo em todo o seu ser. Jesus é o maior mestre do Tantra. Foi um homem corajoso porque tentou explicar aquilo que não poderia ser ensinado. Passar a idéia de Deus é muito difícil. É um ato de tremenda coragem explicar aquilo que apenas pode ser sentido.

Jesus era um grande homem conectado com a fonte.
Entre um discurso ou outro, de repente, se retirava. O grupo ficava sem entender o motivo. Ele levantava uma mão, fechava os olhos e dizia: preciso ir, minha oração está vindo! E isso é tântrico!A oração vem ao coração. Ninguém a chama! Não há um convite formal para a oração! Convidar a oração a vir à tona seria perdê-la. A oração vem do coração e isso é tremendamente espontâneo.O coração chega à frente da sua cabeça e, então, fica impossível racionalizar.

Jesus revelava sua totalidade quando dizia:

    “Deixem-me só; minha canção está vindo.
    Logo depois terei muito a
    compartilhar com vocês.
    Por agora, desejo ficar só.”

A solidão dele era autêntica, não forçada.
Era um desejo total, mais do que o necessário.
Isso é Tântrico por não ser uma busca.

Se você quer amor ou qualquer outra coisa imite Jesus; seja tântrico.
Deixe vir, deixe jorrar, deixe a flor brotar. Faça o convite simples, mas não busque, não contribua em nada para que algo aconteça. O fluxo do universo é tão silencioso e amoroso que tudo se resolve por si mesmo. A vida chega a você. De uma forma ou de outra, tudo que for buscado será perdido. Não perca tempo. A natureza tem seu “time” certo. Tentar forçar algo seria tolo.

    O amor é como uma flor.
    Ele virá, independentemente, de você buscá-lo por aí.

Opte sempre pelo não esforço.
Elimine da sua vida todos os seus “tenho de"... "preciso de...”.
Abandone os ensinamentos ritualísticos e paranóicos por completo.
Ignore a teoria. Seja ignorante e a simplicidade trará mais leveza para sua vida.
Use mais o coração.

O coração nada conhece e a mente é sabichona.
Tira conclusões precipitadas.
Aponta seu dedinho em tudo.
O coração não... É infantil, novo, simples e espontâneo.

    O coração é toda a base do Tantra.
    Siga-o.

O tantra pede que você fique silencioso para ouvir a voz do amor.
O amor é transformador, mexe com as células do seu corpo, aumenta sua temperatura corporal e o torna divino em questões de segundos.

    Quando a mente é exposta ao fogo do amor, ela simplesmente deixa de existir.
    Quando o amor está, não há espaço para mente.

Jesus queria mostrar o caminho para seus discípulos, mas quando a voz do amor o chamava, ele era espontâneo para ficar só. Ele respeitava seu próprio momento. Sabia que o coração trilha caminhos próprios...

O amor é isso!
Um profundo respeito por si mesmo e pelo outro.
E por isso o tantra é espontâneo em sua tremenda simplicidade.
A sua contribuição é toda voltada para o coração.

Quando você é importante, o outro e a natureza recebem uma importância divina. O tantra acredita que nossos parceiros pela vida são escolhas de Deus para nos fazer lembrar de uma velha mensagem contida na fonte do coração: Tudo é divino e não há criação ou escolha a ser feita sem amor. E não há nada mais simples, sábio e espontâneo do que o amor. O Tantra é tão natural quanto as batidas do seu coração.

Autoria: Vivian A. Weyrich

Nenhum comentário:

Postar um comentário