domingo, 20 de maio de 2012

Educação integral...




A importância da educação transcende
ao que lhe tem sido atribuído,
face ao imediatismo dos objetivos
que os métodos aplicados perseguem.

A falta de estrutura moral do educador
— isto é, o equilíbrio psicológico e afetivo,
as noções de responsabilidade e dever,
a abnegação em favor do aprendiz,
a paciência para repetir a lição até impregnar
o ouvinte, sem irritação nem reprimenda,
e o amor — constitui fator adverso ao êxito
do empreendimento que é base de vida
na construção do homem integral.

Quando se educa, são canalizados os valores
latentes no indivíduo para o seu progresso,
fornecendo os recursos que facultam a germinação
dessas potências que dormem no cerne do ser.
Educar é libertar com responsabilidade
e consciência de atitudes em relação ao educando,
a si mesmo, ao próximo e à Humanidade.

Quando se reprime e se impõem condicionamentos
pela violência, uma reação em cadeia provoca
a irrupção da revolta que explode em atos
de agressividade que asselvaja.

A tarefa da educação é, sobretudo, de iluminação
 de consciência, mediante a informação e a vivência
do conhecimento que se transmite.

Quem educa evita a manifestação da delinqüência
e do desequilíbrio social, estabelecendo metas de
promoção da vida.
A punição significa falência na área educativa.
A repressão representa insegurança educacional.
A reprovação demonstra fracasso metodológico.

O educando é material maleável, que aguarda modelagem própria
para fixar os caracteres que conduzem à perfeição.

O educador cria hábitos, estimula atitudes,
desenvolve aptidões, conduz. É o guia, hábil e gentil,
ensinando sempre pela palavra e pelo exemplo,
não se cansando nunca do ministério que abraça.
A escola é o prosseguimento do lar,
e este é a escola abençoada na qual
se fixam os valores condizentes com a dignidade
e o engrandecimento ético-moral do ser.

A educação é fenômeno presente em todas as épocas.
O pajé que ensina, o guru que orienta, o mestre
que transmite lições, são educadores diversos
através dos tempos.

A verdadeira educação ocorre no íntimo do indivíduo,
sendo um processo verdadeiramente transformador.

Qual semente que sai do fruto e semelhante à vida
que esplende saindo da semente, quando os fatores
são-lhe propícios, a educação é mecanismo semelhante
da vida a serviço da Vida.

É certo que o homem se apresenta imperfeito, por enquanto,
todavia é, potencialmente, perfeito, e, à
educação, compete o papel de o desenvolver.

A divina semente que n’Ele jaz, a educação põe a germinar.
Sempre se educa e se sai educado, quando se está atento
 e predisposto ao ensino e à aprendizagem.

Todos somos educadores e educandos, conscientemente ou não.
A educação, porém, há que ser integral, do homem total.

Jesus, o Educador por Excelência, prossegue, paciente,
 amando-nos e educando-nos, havendo aceito
apenas o título de Mestre, porque, em verdade O é.

Autoria: Joanna de Ângelis

Nenhum comentário:

Postar um comentário