sexta-feira, 4 de maio de 2012

Consciência da presença...




Note que a busca por si mesma já é uma armadilha, por que implica na existência de uma entidade com a necessidade de tornar-se algo. E tornar-se implica algum tempo futuro. Não é ser. Tornar-se não pode jamais ser. E nós falamos a respeito de ser. Chamamos a nós mesmos de seres humanos e chamamos Deus de Ser Supremo. Tire esses dois rótulos (humano e supremo) e tente separar o ser (a seidade, a natureza de ser). Eu podia chamar esse ser aqui de Bob, e aquele ser lá de Joan. Essa coisa na qual estamos sentados nós chamamos de cadeira. Mas retire os rótulos e o que restará? O substrato, ou a base - o ser, os padrões e as formas que tomam ou na qual aparecem. Mas o padrão e forma são apenas aparência. Sua essência ainda é aquela energia (puro ser) vibrando naqueles padrões característicos. Assim não há para onde ir e não há ninguém para ir. E não há nada para ser obtido e ninguém para obtê-lo.

Autoria: Bob Adamson

Nenhum comentário:

Postar um comentário