domingo, 6 de maio de 2012

Morda a língua...



Quantos pensamentos se perdem no vazio da indisciplina!
Devaneios invadem a concentração.
O ambiente externo toma conta do interno... E mal se percebe esta invasão.

Profundas marcas do passado, ou, esperanças em futuros incertos, imagina encontrar soluções fora de si, quando tudo está no interior.

Mas insistentemente, os pensamentos e sentimentos negativos cativam? Facilitam a vida?
Bobagem! Apenas dificultam o entendimento acerca do momento.
Provocando sensações de estranheza, de inadequação.

Deslocada da própria realidade, a pessoa se perde em si mesma, na tentativa da verdadeira compreensão de um problema, ao invés de focar a atenção na solução.

Lamenta, julga a vida nefasta, maculando a Essência que anseia pela libertação... Ou seja, o pensamento reto, gerando assim bons sentimentos para prosseguir.

Uma mente amorfa, que perde a própria credibilidade diante de si, pela ausência de um consenso sobre a natureza dos pensamentos.

A indolência mental, que assola as mentes em conflito, e ainda julgam ‘saber onde pisam’... Oras, o verdadeiro sábio, sabe onde pisa. Conhece o território, se este é minado ou não.
É observador, atento a cada movimento, e não se preocupa com o senso comum que mina a maioria dos bons sentimentos.

Parece bem mais fácil lamentar que buscar soluções.
É mais interessante falar de pessoas?
A praticidade dos pensamentos de medo e ilusão do que a disciplina mental?

Pode ser! Porém, a disciplina é indispensável para resultados positivos duradouros, de uma mente que até então era avessa à própria realidade.

Leituras, teorias, exemplos... Se não sentir na pele o esforço em busca da mudança interna, a insipiência fará parte da vida por muito, muito tempo.

E depende de cada um a vontade da mudança. A disciplina e a concentração necessárias para obter o resultado desejado: A substituição dos maus pensamentos, por melhores! Refletindo assim no externo.

Uma pessoa que reconhece o seu valor e o valor das pessoas.
Que avalia o valor da vida, mesmo em pequenas doses... Na compreensão, na bondade, no silêncio que respeita, na admiração pelo belo, na compaixão daquele que sofre...

Será que é tão difícil assim cumprir o papel designado pelo Criador?
De SER HUMANO?

E pensar que diante de tantas calamidades, de tanto sofrimento, de tanta dor, ainda existem aqueles que perdem tempo com maledicências, com ‘dedos apontados’, com julgamentos...
Seria tão mais prático e fácil cada um procurar melhorar a si mesmo, do que insistir em deixar bem claro o seu ponto de vista.
Seria tão mais bonito perceber que ao invés de ser um reflexo, cada um é Luz... E parar de querer ofuscar o brilho do outro!

O primeiro passo para o melhoramento pessoal é disciplinar seus pensamentos... Assim, melhoram os sentimentos, e os atos tornam-se puros. E antes de pensar em julgar o outro, silencia a mente e abençoa... Ao invés de criticar!

Um truque para não falar do outro?
Morda a língua!
Mude o pensamento, e discipline-se em busca do SEU melhor.
Assim contribuirá muito mais ao semelhante, que muitas vezes precisa apenas de um ombro amigo, um colo, um abraço... E não uma ladainha sem fim de conselhos, pontos de vistas, de infindáveis sermões...

Autoria: Gênice Suavi

Nenhum comentário:

Postar um comentário