domingo, 21 de agosto de 2011

Reconhecimento de almas...




Freqüentemente existem dois ou três, ou mesmo quatro.
Provêm de diferentes gerações.Viajam através dos oceanos do tempo
e das profundezas das dimensões celestiais para estarem novamente conosco.
Vêm do outro lado, do céu. Estão diferentes mas o seu coração reconhece-os.
Coração esse que os teve nos braços de que então dispunha...
Estão unidos pela eternidade e nunca estarão sós.
A sua cabeça pode dizer: «Mas eu não o conheço».
Mas o seu coração sabe que não é assim.
Ele pega-lhe na mão pela primeira vez, e a memória do seu toque
transcende o tempo e perturba profundamente todos os átomos do seu ser.
O reconhecimento das almas pode ser imediato.
Um sentimento súbito de familiaridade, a sensação de conhecer
 esta nova pessoa a uma profundidade muito além 
daquela que a consciência permitiria...
saber intuitivamente o que dizer, como vão reagir.
Um sentimento de segurança e confiança muito maior do que aquele
que alguma vez poderia ser conquistado num dia, numa semana ou num mês.

Autoria: Bryan Weiss

Nenhum comentário:

Postar um comentário