segunda-feira, 22 de agosto de 2011

"Dar a outra face": como?

 
 
 
A expressão está inserida nos ensinamentos do Cristo como uma das mais notáveis ações do comportamento “não violento”. Muitos mal entendidos encontraram nela um absurdo e incoerente anúncio de covardia, fraqueza, humilhação, e tudo mais que possa reservar o olhar da orgulhosa ilusão...

O engano baseia-se numa interpretação superficial, ao pé da letra, de que se deva oferecer também o outro lado da face ao agressor, o pescoço ao algoz, saciando assim seus desejos brutais de força e poder. Este entendimento é um contra-senso visto toda a doutrina de amor ensinada por Jesus e por outros iluminados mestres que nos deixaram esta mensagem. Em absoluto, estes missionários do amor não interditaram a defesa desta maneira, mas certamente condenaram a violência e a vingança.

“Dar a outra face” encontra assim o seu verdadeiro sentido, todo de amor e ao mesmo tempo firme em seu propósito de desestimular a violência, desarmando-a com a força da paz, com a confiança de que o bem é a melhor resposta. Reconhecer a grande diferença entre firmeza e agressividade já é um ótimo primeiro passo.

Pagar o mal com o bem é o derradeiro ensino aos violentos e o melhor: está plenamente ao alcance de nossa solicitude.

Mostrar o “outro lado da moeda” é ensinar o bruto pelo exemplo, pela resignação e coragem.

Isto mesmo: CORAGEM!

Há muito mais coragem em resistir ao revide do que rebater com gana ao golpe desferido em nossa direção. Aliás, este é o ponto que sinceramente gostaria de fazer brilhar com este artigo.

Repare que a violência é um pedido agonizante de socorro e que ficarmos indiferentes a esta solicitação não saneará a premissa do universo solidário – o NÓS EM VOCÊ. É sim uma distorção espiritual que faz parte de nossa missão global. Há sempre o que fazer neste sentido. É por isto, também, que estamos por aqui, de passagem sim, mas para deixar novas marcas, novas FACES - EVOLUIR.

Participar destas ações renovadoras revigora as luzes da alma compreendendo que a nossa parte nelas é a mais importante e não o que o próximo deixa de fazer. Relativo a “deveres” use o EU a vontade porque o amor é assim: quanto mais se dá mais se tem. Quando você se flagra está conectado com uma rede pronta do NÓS, contagiante, que toca e invade seu coração.

O universal convite pela PAZ!

Perceba em você mesmo as atitudes violentas. Elas nascem de sua sintonia com o comportamento violento... Estão escondidas em olhares, julgamentos, palavras... Transmute-as na energia da PAZ.

Reforme-se, ator da mudança!

Irradie pensamentos amorosos para regiões conflitantes do globo, ore, envie Reiki para o planeta, esteja pronto para participar com a “outra face” de rodas de conversa onde as lamúrias são o tema principal, faça um balanço de sua pro atividade na paz de seu próprio lar – DÊ O EXEMPLO!

A violência é a paz que adoeceu. Tem cura! A morte da paz seria a indiferença para com a violência, mas a paz existe para viver em seu coração, não morre porque é feita de amor. Paciente, te aguarda de braços abertos para te fazer feliz como todos que carregam em si a luz desta missão gloriosa.

Seja você a Paz que anseia para o mundo (Gandhi)!


Autoria: Marcos Nobre

Nenhum comentário:

Postar um comentário