terça-feira, 22 de março de 2011

Elege-te ao amor...





Tendo em vista a Obra de Amor a que te Encontras Vinculado, muitas vezes crês que desfalecerás sob o fardo de desilusões que te pesam sobre os ombros.

Muitas vezes, de coração estiolado por mil tormentos, Pensas que a desencarnação seria alívio para Todas as dores.

Muitas vezes, extenuado, Consideras as sombras pesadas que te envolvem, anulando esperança das tuas aspirações.

Muitas vezes Despertas Enganado e vencido ante a vitória dos maus, como se conduzisses fortes algemas de que não te podes libertar.

Muitas vezes Transformam-se em pesadelos os sonhos que anelavas com carinho, fazendo-te recear.

Muitas vezes, na queda em que te Surpreendes, encontras, apenas, o lodo 
da amargura, retendo-te em Baixo e asfixiando-te 
com miasmas pestosas, dificultando a Ascensão.

Muitas vezes, sem forças, Tantas têm sido as lutas em que te encontras, que Gostarias de Recomeçar a Vida, tão Somente para Trilhar vereda Diferente da que percorres e na qual te sentes esmagado pela Incompreensão de quem Deveria Entender-te, daqueles a quem Amas e Desejarias te amassem...

Não Te Aflijas Nem Te Queixes.


Autoria:  Joanna de Ângelis

Nenhum comentário:

Postar um comentário