sexta-feira, 7 de outubro de 2011

A coragem de ser você...



Fomos criados em perfeita harmonia. Cada um de nós traz consigo o material necessário para a realização pessoal. É tolice viver anulando nossas capacidades para valorizarmos as qualidades dos outros. Ninguém é melhor que ninguém, mas às vezes insistimos em acreditar nisso.

Num mundo onde as imagens ditam os valores das pessoas, corremos o risco de esquecer nosso real valor por não sermos enquadrados nos padrões impostos como ideais. Frequentemente somos assombrados por uma mentalidade baixa que quer nos obrigar a aplaudir as qualidades dos outros e esquecer das nossas. Talvez seja por isso que tantos vivem desacreditados da vida: perderam a identidade por querer ser aquilo que não é.

Ninguém consegue ser feliz temendo ser aquilo que é. Nosso real valor só aparece quando aprendemos a reconhecer nossos talentos adormecidos e nos permitimos crescer com eles. Todo mundo tem uma imensidão de coisas boas a serem descobertas, mas muitos vivem com medo de procurá-las. Ser negligente com a própria vida é a principal razão da nossa insatisfação pessoal.

Ser você significa acreditar que não existe ninguém igual a você neste mundo e por isso mesmo considerar-se único, especial. Ser você é fechar os ouvidos para as vozes que insistem em lhe mostrar um caminho diferente daquele que você escolheu. Muitos se perdem nesta vida porque não souberam dizer não aos invejosos. Ser você é reconhecer suas qualidades, dons e talentos e com humildade, aprender também com os seus defeitos. A vida não é feita só de alegrias: os momentos ruins nos preparam para o novo que há de vir.

Ser você é ter a coragem de subir no palco e dirigir o script da sua história. Só você pode gerir a sua grande empresa chamada vida. Se ela vier a fracassar, não queira culpar ninguém. Ser você é caminhar confiante, prosseguir quando quiserem lhe paralisar, ousar acreditar nos seus ideais e nunca se sentir incapaz enquanto não tentar. Ser você é abraçar a oportunidade, andar de mãos dadas com a coragem e ser um amante da felicidade. É acordar a cada dia com confiança e otimismo, com a certeza da realização.

Que ninguém retire de você a imagem que há em você. Há muitos que são especialistas em “consertar” a vida dos outros, mas são péssimos artesões da própria vida. Cuide para que as pessoas não lhe impeçam de andar com as próprias pernas e torná-lo um ser fragilizado. Sabemos que somos amados quando os que dizem nos amar permitem que sejamos quem realmente somos. Sempre que lhe impedirem que você seja quem você é, mostre para estas pessoas que você não consegue ser ninguém além desta pessoa que há em você. Isso é sinal de maturidade, sinal visível de que aprendemos a viver.

Autoria: Paulo Franklin

Nenhum comentário:

Postar um comentário