sexta-feira, 29 de março de 2013

Você sabe amar?





"... Estou aprendendo a aceitar as pessoas, mesmo quando elas me desapontam e me ferem com palavras ásperas ou ações impensadas. É preciso aceitá-las como são e não como desejo que sejam!

Mas, para isso, é preciso escutar com os olhos, os ouvidos, a alma e com todos os sentidos. Ouvir o que dizem o coração, os ombros caídos, os olhos, as mãos irrequietas e, ainda, a mensagem que se esconde por entre as palavras corriqueiras e aparentemente superficiais.

Descobrir a angústia disfarçada, a insegurança mascarada, a solidão encoberta. Penetrar no sorriso fingido, na alegria simulada, na imodéstia exagerada. Entender a dor de cada coração.

Aos poucos, felizmente, estou aprendendo a amar, a perdoar, pois o amor perdoa, lança fora as mágoas e apaga as cicatrizes que a incompreensão e a insensibilidade gravaram no coração ferido.

O amor não alimenta mágoas com pensamentos dolorosos, nem cultiva ofensas com lástimas e autocomiseração.

Simplesmente perdoe, esqueça, extingue todos os traços de dor no coração.

Que surpresa agradável vislumbrar o valor que se encontra dentro de cada vida, soterrada pela rejeição, pela falta de compreensão, de carinho, de aceitação e pelas experiências duras vividas ao longo dos anos!

É muito importante ver nas pessoas sua alma e as possibilidades que Deus lhes deu.

Como é difícil amar, como Cristo o fez!

Todavia, mesmo tropeçando, errando, sigo em frente e ponho de lado minhas próprias dores, meus interesses, minha ambição, meu orgulho, tudo em prol daquilo que é fundamental e indispensável em minha vida: AMAR SEMPRE, CUSTE O QUE CUSTAR!..."

(A.D.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário