domingo, 22 de setembro de 2013

Era uma vez uma árvore...


"... Desde que ela se conhecia por árvore, ela sabia que era uma árvore diferente. O que ela não sabia era se a diferença estava na semente, na raiz, ou na terra em que fora plantada. Ela olhava para as outras árvores do campo, muitas vezes desejando ser uma árvore normal, como as demais.

Quando chegou o dia de brotar as primeiras folhas, ela insistiu que algumas de suas folhas fossem vermelhas. Mamãe árvore fez de tudo para dissuadi-la: “Folhas têm de ser verdes!” - disse ela - mas sem sucesso.

E assim a copa cresceu com algumas folhas coloridas. Muitas árvores vizinhas apontavam suas folhas sórdidas em direção às suas vermelhas, criticando-a. Umas poucas elogiavam sua autenticidade... E ainda outras, fofocavam entre si dizendo que as folhas vermelhas não deveriam existir naquela árvore. Com as flores e frutos, história semelhante ocorreu. E  por ser diferente, essa árvore vivia quase sem contato com as demais. Vez ou outra alguém usufruía da sua sombra... dos seus frutos... Mas quando se lembrava das folhas vermelhas, acabava por se afastar.

Os anos passaram, muitas estações sobrevieram. Algumas castigaram duramente aquela árvore. Ela chegou a ficar muito tempo sem folhas, flores e frutos. Mas a raiz sempre vibrando. Lentamente, mas vibrando. Ainda há seiva percorrendo os seus ramos, ainda que mirrados. Vez ou outra, um pássaro pousa nos seus galhos e traz uma cantiga alegre. Vez ou outra sua raiz se entrelaça com outra raiz, e há uma troca de seivas...

Mas a árvore está cansada... Cansada dos ventos, das tempestades... Há ventos que vem de fora e há ventos que vem de dentro. O pior inimigo é o que está dentro da árvore. Que pode consumir sua seiva e esvair suas forças. Um vento mais forte pode colocá-la a nocaute. Mas sua raiz continua entrelaçada à raiz de uma árvore que ela nem sequer conhece e que a nutre de forças e energia.

E vem o tempo em que a árvore terá que decidir se vale a pena continuar sendo uma árvore que não tem flores e frutos... E se vale a pena continuar ocupando terra em vão...

- Tudo bem ser uma árvore diferente, diz alguém... E assim a árvore segue acreditando que o importante é simplesmente SER.''

Autoria: Wally Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário