quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Tempo de travessia...





"... Existem períodos em minha vida que batizo de "tempo da travessia". É como se eu chegasse a beira de um rio de corredeira e tivesse que atravessá-lo em condições precárias.

Sem barco, sem ponte, sem a luz do dia, sem estrelas, sem luar, só eu , o rio e a imensa escuridão. É ali que o medo é mais forte, a insegurança, o frio, a dúvida,
a sensação de fracasso , tudo me assalta.

Me sinto acovardada e recuo sempre depois da passada: um passo e um recuo, outro passo, mais um recuo.

É assim que o medo me pega, ele sabe onde é meu ponto fraco. É nessa hora que a solidão toma seu espaço e eu não acho sequer uma lamparina para iluminar o caminho. Quando chega a noite, o silêncio é ensurdecedor e o tempo parece não passar.

Passei um longo período assim, com essa sensação, tolhida dos meus próprios desejos, tentando achar um caminho que fosse menos doloroso. Hoje vejo que isso tudo isso faz parte da minha travessia, e houveram muitos caminhos que precisei seguir a pé e sozinha, e esse foi o meu pedaço de sofrimento.

Desejei sim a cura imediata, pedi a Deus várias vezes que colocasse um ponto final o mais rápido possível, pois inúmeros momentos achei que não ia suportar tamanha prova, mas aprendi que tudo tem o seu tempo certo de plantar e de colher e o meu ainda não havia chegado.

Hoje percebo que esse tempo nunca chega. Aprendi que existe o tempo da estiagem e o da tempestade e que só temos que estar bem preparados para ultrapassar
os dois.

No tempo da estiagem, temos que ter humildade suficiente para acumular riquezas espirituais para o tempo da travessia, como por exemplo: combater o egoísmo, lutar contra a soberba, ter sabedoria suficiente para distinguir o bem do mal, e vigiar tudo todo o tempo.

Saber olhar no espelho sem máscaras e usar os olhos do coração, pois no tempo da travessia isso será o mais importante : manter o coração puro. Foi o que tentei fazer o tempo todo, não deixar que o meu coração adoecesse e se tornasse gélido, isso foi uma luta, mas eu sempre soube que isso me manteria viva.

Hoje sei que de tempos em tempos, terei que me preparar para a travessia, por isso estou mais forte e renovada. Quero ser feliz, isso que importa. Se é na travessia da tempestade, ou na estiagem, tenho certeza de que estarei feliz.

Sei que tenho um caminho vasto pela frente, e sei que a cada dia é um novo recomeço, um preparo espiritual, uma vigilância constante, um cuidar especial da sabedoria. Mas sei principalmente da coisa mais importante da qual só a travessia me ensinou:

 - Preciso cuidar bem do meu coração, porque é dele que saem as coisas ruins e as boas, e é assim que vou aprender cada passo desse meu caminho e tenho a certeza hoje que Deus me escolheu dentre muitos de seus filhos para que eu aprendesse mais rápido todas as lições da qual ele me destinou..."


Autoria: Eliane Fressinet

Nenhum comentário:

Postar um comentário