quarta-feira, 17 de agosto de 2011

A exuberância das palavras...






A Exuberância das palavras... Expressa num sorriso!

"A exuberância das palavras
Entremeadas de sorrisos,
Leva, às vezes, o poeta a debelar o grito,
Silenciar a dor...
Que faria as lágrimas deslizarem sobre as faces,
Em face de algo que machuca...
Mas, tampouco, se pode chorar...
E... Vive-se a eterna angústia
De ser sociedade,
De ter que esconder a realidade...!
Pois ao escrever poemas
Dizem que não se deve redigir as gargalhadas...
Esquecem que muitas vezes o palhaço,
Ri no tablado... Para que suas dores sejam afugentadas...
E vem revolta!
E têm-se conflitos... E Conflitos... E mais Conflitos!
E gritam quando a dor é tamanha
Que já não cabe dentro do peito - O grito
Grito que eclode em forma de grito-riso!
E soam gargalhadas – Gargalhadas que se confundem –
Com o riso das “águas selvagens” da vida!
Condena-se... A trancar o riso... Revolto!
E como riacho, deságua o riso-doloroso,
No leito de um rio calmo,
Que caminha para o mar... Agitado hahahahaha...
Por que se convencionou que não pode gargalhar!?
Que não se limite a exuberância do riso das palavras – silenciosas – ,
Assim como não se pode o pensamento cercear... !"

Autoria: Reinadi Sampaio

Nenhum comentário:

Postar um comentário