quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Crise...



Palavra que assusta.
Sempre que ouvimos “crise” pensamos em coisas negativas.
É aquilo que não vai bem.
Crise financeira.
Relacionamento em crise.
Crise de asma.

É verdade. A crise realmente traz consigo uma carga de coisas ruins. Mas eu sempre a enxerguei como uma oportunidade. Porque pensando bem, existe algo pior do que estar no fundo do poço? Quando se chega lá só resta uma alternativa: sair dele. Quando não há mais nada que fazer só nos resta mudar. E esse é o poder da crise. Ela desacomoda, gera mudança. De foco, de pensamento, de ações, de sentimentos. A crise sempre faz com que a partir dela novas coisas surjam.

Crise no trabalho nos faz buscar novos rumos, voltar a pensar em sonhos já esquecidos, e ir em busca daquilo que nos fará mais feliz. Crise na saúde nos faz buscar ajuda e dar mais valor à vida, que é presente tão lindo de Deus.
Crise no relacionamento, seja de amor ou de amizade, nos faz tomar novos caminhos. Aprender com as sensações ruins e não repeti-las. Faz olhar para si mesma com mais amor e cuidado.

A crise gera mudança, desacomodação. Na hora da dor nada é entendido, apenas sofrido. Brigamos com Deus por aquilo que acontece. O culpamos. Sem perceber que logo ali a estrada está se abrindo à nossa frente. E o pior de tudo é que quando começa a dar certo a gente nem lembra de agradecer pela crise que superou.

Para acabar com uma crise? Abrir-se.
Abrir o coração. Como disse o Caio: “Deixa entrar”. Deixar entrar o que a vida apresenta. Parar de valorizar o sofrimento e permitir que novas coisas ocupem espaços agora vazios. É difícil? É. Porém necessário. Falta de amor próprio é deixar a vida girar em torno de uma crise apenas por medo de sair dela.


Autoria: Débora Mattos

Nenhum comentário:

Postar um comentário