terça-feira, 15 de março de 2011

Sou como vento...



 
Sou como vento...
Sinto o vento do mar soprar em meu rosto...
Fecho os olhos para senti-lo tocar minha pele.
Seria este vento invisível a mão de Deus? Acho que sim...
Todas as grandes mudanças na minha vida foram precedidas 
por um vento vindo não sei de onde.
Como quem sopra as velas de um barco que precisa ir mais longe...
Seria o vento o destino?
Levando este barco para novos lugares?
Talvez eu seja o próprio vento...
Porque nem todos vêem o vento assim como não vêem a mim
Mas me alcançam pelas palavras nesta busca infinita De mim mesma...
Talvez o vento venha para juntar meus retalhos 
para depois contar histórias de vida.
De vidas tantas que suavizam o cansaço...
E que me protegem feito manta colorida.
Embalando sempre meus sonhos...

Autoria: Sônia Schmorantz

Nenhum comentário:

Postar um comentário