quarta-feira, 16 de março de 2011

O coração e a saudade...



Não é difícil falar de saudade: doloroso é vivê-la.
Difícil é amá-la quando dilacera o coração e o deixa em pedaços.
Acho que encontrei uma explicação pela qual ela parece tão insuportável quando ficamos muito tempo longe das pessoas que amamos: como o coração é apenas do tamanho de uma mão fechada e a saudade, algo que cresce a cada dia, cada minuto que passa ela vai ocupando mais espaço e o coração se sentindo cada vez mais apertado.

Sem o outro ele se sente sem ar. Por isso essa sensação de se sentir sufocado e a impressão que o coração vai explodir dentro do peito. Por isso os olhos ardem e as palavras desmancham-se dentro de nós.
Mas a saudade é deliciosa!!!
É ela que nos mostra aqueles que contam realmente na nossa alma, os que 
escreveram para sempre seus nomes nas paredes do nosso coração 
e, aconteça o que acontecer, permanecerão lá, intactos.

É dela que não queremos nos desprender, a qual nos agarramos como uma tábua de salvação que nos conduzirá à outra margem, onde encontraremos aqueles que vencem as distâncias e os infinitos e continuam do nosso lado ignorando as barreiras do impossível e do invisível.
Sabemos que amamos quando a saudade bate à nossa porta e não encontramos forças para não deixá-la entrar. Nos entregamos.

A saudade é a doce arte de saber misturar o amor, a dor e a esperança.
É a herança dos que abriram o coração para amar...

Autoria:Letícia Thompson

Nenhum comentário:

Postar um comentário